A era 5G - Synerhgon
R. São Vicente de Paulo, 650,Cj. 12 - Higienópolis - SP
(11) 3825-6751 / (11) 99607- 8855
synergia@synerhgon.com.br

A era 5G

Consultoria estratégica em gestão

A era 5G

Recente pesquisa trouxe luz a algumas características da tecnologia 5G e fez projeções para o setor. A íntegra do trabalho (em inglês) você pode encontrar aqui: The 5G era. Neste artigo, elencaremos os aspectos que consideramos mais relevantes.

 

VISÃO GERAL

A próxima geração de conectividade sem fio chegou: a tecnologia 5G tem a capacidade de suportar um grande número de conexões simultaneamente, melhorando a velocidade, latência, confiabilidade e consumo de energia para aparelhos e dispositivos de Internet das Coisas (IoT).

Leilões de venda de frequências já são corriqueiros, os primeiros smartphones prontos para 5G chegaram ao mercado e a implantação da rede começou em quase todo o mundo.

Atualmente, a maioria das inovações 5G envolve o Business-to-Consumer (B2C), principalmente porque as operadoras de rede estão tentando otimizar os custos operacionais e os fabricantes de aparelhos querem diferenciar seus produtos. Mais recentemente, no entanto, muitas novas oportunidades começaram a se abrir na esfera Business-to-Business (B2B).

PROPOSTA DE VALOR DO 5G

Os players do mercado estão interessados na tecnologia 5G porque esta melhora imensamente a velocidade, latência, confiabilidade e consumo de energia ao mesmo tempo em que oferece suporte a mais conexões de dispositivo.

Embora o 5G ainda não forneça resultados ótimos para todas essas dimensões simultaneamente – em função da tecnologia atual e limitações de infraestrutura – eventualmente se tornará a tecnologia de escolha para comunicações críticas que requerem extrema confiabilidade e qualidade de serviço, incluindo aquelas em ambientes industriais.

De acordo com o 3rd Generation Partnership Project (3GPP), uma organização que desenvolve padrões de telecomunicações, o 5G agrega valor principalmente no aprimoramento de três aplicações:

  • Banda larga móvel aprimorada (eMBB), que fornece taxas de dados mais rápidas em áreas de ampla cobertura para melhorar várias funções, incluindo streaming de vídeo ultra HD;
  • Comunicação ultra confiável de baixa latência (URLLC), que aumenta a velocidade e a qualidade do serviço em funções críticas, como o controle de robôs e drones;
  • Comunicação massiva do tipo máquina (mMTC), que envolve a geração automática, transmissão e processamento de dados entre várias máquinas com pouca ou nenhuma intervenção humana (por exemplo, para rastrear mercadorias ao longo da cadeia de suprimentos).

A adoção do 5G provavelmente acontecerá em ondas nos principais mercados, sendo os primeiros casos de uso de IoT 5G a ganhar força aqueles relacionados à eMBB. Os para URLLC virão logo em seguida; já os casos de uso de mMTC levarão vários anos para ganhar terreno.

Mesmo com o crescimento do 5G, o 4G continuará a existir e fornecer ampla cobertura a um custo menor. Em consequência, as aplicações mMTC que requerem cobertura de baixa potência e ampla área (LPWA) continuarão a contar com a tecnologia 4G nos próximos anos. Os casos de uso habilitados para mMTC usando redes 5G não ganharão força até que a cobertura 5G esteja disponível fora das grandes cidades – um desenvolvimento não esperado até pelo menos 2025.

Para cada perfil de aplicação, a adoção dependerá amplamente da disponibilidade de chipsets 5G adequados, da velocidade e da cobertura das implantações de rede 5G, bem como da evolução das regulamentações.

Os negócios prontos para se beneficiar do crescimento do 5G incluem operadoras móveis e provedores de rede, fornecedores de componentes e módulos, máquinas e empresas de automação industrial, bem como empresas de manufatura.

MITOS E VERDADES SOBRE O 5G

Embora o 5G vá claramente impactar os mercados B2C e B2B, essa tecnologia não é uma panaceia. Enquanto membros do setor entendem os limites do 5G, alguns relatos da imprensa encorajaram os consumidores a ter expectativas irreais. Em entrevistas com especialistas, foram analisados detalhadamente os fatos para dissipar o “hype” que surgiu do marketing agressivo e do ânimo consumista:

No curto prazo, nem sempre o 5G será necessário.

A tecnologia fornece os maiores aprimoramentos de desempenho – e, portanto, mais valor – para aplicações com muitos dados, casos de uso que requerem latência ultrabaixa e ambientes com um grande número de conexões.
Fora isso, as alternativas existentes, como Wi-Fi e conexões fixas, podem ser mais adequadas e econômicas.

De forma mais imediata, as empresas irão aproveitar apenas aplicações 5G que exigem cobertura em uma área restrita, como um local de produção. Não irão agregar o valor total de aplicações 5G que requerem cobertura de uma grande área até que as redes 5G se tornem amplamente disponíveis.

O 5G não eliminará as atuais áreas sem cobertura.

A implantação inicial do sistema será calcada na infraestrutura da rede 4G, que atualmente passa por densificação.

É certo que haverá construção de redes 5G do zero, mas isso ocorrerá inicialmente nas áreas metropolitanas para, só então, chegar ao meio rural. Numa segunda etapa, as implantações 5G ocorrerão ao longo das principais rotas de transporte, como rodovias e ferrovias.

Além disso, de forma geral as células 5G são menores do que as 4G e, portanto, requerem mais pontos de acesso por área.

Em determinadas áreas rurais, o 5G fará uso de frequências mais baixas para aumentar seu alcance a uma taxa de dados reduzida. Dado esse padrão, provavelmente levará vários anos para que a cobertura 5G alcance áreas rurais com grande largura de banda.

Muitos acreditam que o 5G é essencial para sistemas de direção autônoma.

Mas, como não se pode esperar cobertura 5G completa em todas as estradas, pelo menos no futuro imediato, as montadoras estão criando veículos que têm os sensores e a potência computacional necessária para permitir a direção autônoma no modo off-line.

Para a comunicação veículo-veículo e veículo-estrada, ambas essenciais para uma direção autônoma, conectividade 4G ou protocolos Wi-Fi são atualmente suficientes.

Da mesma forma, a tecnologia 4G oferece suporte a todos os casos de uso de IoT atuais no veículo, como entretenimento, navegação e sistemas de resposta a emergências.

Eventualmente, indústria automobilística irá incorporar módulos 5G aos veículos para permitir futuros casos de uso de IoT, como streaming de vídeo 4K a bordo e navegação 3D. Após 2030, os veículos autônomos de nível 5 – aqueles capazes de se dirigirem sozinhos – usarão o 5G como uma tecnologia de comunicação por causa de sua baixa latência, alta confiabilidade e largura de banda.

5G não é simplesmente uma atualização técnica do 4G.

Além de um melhor streaming de vídeo HD e outros aplicativos de grande largura de banda, os consumidores não notarão muitas diferenças de desempenho. Por outro lado, proporcionará aplicações totalmente novas.

No setor industrial o 5G representa um grande salto à frente. As empresas eventualmente criarão uma infraestrutura de rede nova e densificada com diferentes antenas, mais e menores células e maior poder computacional.

O 5G oferecerá um avanço muito maior que os upgrades anteriores em tecnologia sem fio, especialmente em termos de velocidade, latência e eficiência energética.

 

Mauricio Prieto – sócio diretor da Synerhgon