R. São Vicente de Paulo, 650,Cj. 12 - Higienópolis - SP
(11) 3825-6751
synergia@synerhgon.com.br

Cinco problemas comuns (e dicas de como solucioná-los) na gestão de pessoas

Consultoria estratégica em gestão

Cinco problemas comuns (e dicas de como solucioná-los) na gestão de pessoas

A gestão de pessoas é um dos principais desafios para empresas de todos os portes. Se por um lado, as grandes precisam trabalhar muito para estimular e reter talentos, especialmente os que dominam áreas estratégicas de atuação, para os pequenos negócios, profissionais multidisciplinares e focados na solução de problemas podem ser a chave para sucesso.

A consultoria Deloitte divulga anualmente um relatório que tem por objetivo analisar as principais tendências em gestão de pessoas. Realizada com 11 mil líderes de negócios e RH, a pesquisa mostrou que, além dos desafios já conhecidos, estamos testemunhando mudanças na força de trabalho, no local de trabalho e nas tecnologias.

As organizações deixam de ser avaliadas somente com métricas tradicionais, como desempenho financeiro ou a qualidade de seus produtos ou serviços, e passam a ser julgadas com base em seus relacionamentos com os colaboradores, clientes e comunidades.

De muitas maneiras, o capital social alcança um novo status junto ao capital financeiro e físico em valor. Em uma pesquisa recente, por exemplo, 65% dos CEOs classificaram “crescimento inclusivo” como uma das três principais preocupações estratégicas, mais de três vezes acima do “valor para o acionista”.

Hoje, empresas de sucesso devem incorporar tendências externas, perspectivas e vozes, mantendo relações positivas. Construir esses relacionamentos desafia os líderes empresariais a ouvir atentamente a todos, agir de forma transparente, melhorar a colaboração e construir confiança, credibilidade e consistência por meio de suas ações.

Para ajudar, listamos abaixo alguns dos principais pontos a serem levados em conta na gestão de pessoas:

1. Ambiente tóxico

O clima, juntamente com a cultura organizacional, é o principal ponto a ser abordado dentro de uma estratégia de gestão de pessoas. Essa análise identifica como os colaboradores se sentem com relação ao ambiente de trabalho. O ambiente também pode influenciar e ser influenciado pelos demais stakeholders, como fornecedores e clientes.

Fofocas, intrigas, e, nos casos mais graves, assédio moral são questões muito sérias e que devem ser combatidas árdua e sistematicamente pela liderança. Um ambiente ruim gera desmotivação, falta de foco e pode impactar todos os profissionais.

Por isso, como líder é essencial impor por meio de palavras e de ações os valores em que você acredita para a sua empresa, estimulando o aprendizado contínuo e o desenvolvimento profissional. Converse com as pessoas, identifique os focos de problema, mude atitudes, estabeleça metas e deixe claros os valores da empresa.

2. Problemas interpessoais

Ainda relacionado ao problema anterior, é comum que as pessoas se juntem com quem possuem mais afinidades. Isso torna-se uma dificuldade quando grupos excludentes são criados (as chamadas “panelinhas”), de modo a causar desconforto nas relações interpessoais.

Outra obstáculo possível é a personalidade de alguns funcionários, que às vezes podem ter mais dificuldades para se relacionar com os colegas de equipe. Em ambos os casos, é válido criar situações em que todos possam interagir com ciclos diferentes de amizade ou, até mesmo, investir em treinamentos sobre o tema, incentivando o desenvolvimento das habilidades de comunicação.

3. Choque de gerações

Estamos vivendo a entrada no mercado de trabalho da geração Y. Segundo a pesquisa da Deloitte, pela primeira vez em mercados maduros, os jovens acreditam que suas vidas serão piores do que a de seus pais e estão questionando ativamente as premissas centrais do comportamento corporativo. 86% dos millennials, por exemplo, acreditam que as métricas de sucesso dos negócio devem ir além do desempenho financeiro.

Esses jovens são hoje a maioria da força de trabalho em muitos países e seu poder provavelmente deve crescer com o tempo. Desta forma, é essencial criar espaço de interlocução onde tanto os jovens quanto as gerações anteriores achem propósito nas suas atividades e se complementem de forma harmoniosa.

4. Má distribuição de tarefas

Todos os profissionais são contratados com uma função específica e devem ser alertados sobre o volume de trabalho, podendo oscilar em alguns momentos para mais ou para menos. Por outro lado, esse aumento não pode ser recorrente a ponto de tornar-se uma prática abusiva.

Outra fonte de desconforto: quando duas pessoas são contratadas para mesma função mas uma recebe, com certa frequência, uma demanda maior de trabalho que a outra. Para resolução desse problema, o gestor responsável deve analisar constantemente o fluxo de trabalho e como as tarefas estão sendo distribuídas.

5. Turnover

A atração e retenção de talentos é um dos maiores desafios das organizações. O excesso de turnover (mudanças na equipe) pode gerar impactos inclusive financeiros, aumentando o tempo dedicado a treinamentos e os erros pela falta de conhecimento das políticas e atividades da empresa.

Fidelizar os colaboradores passa não apenas pela remuneração adequada, mas também pelos desafios, perspectivas de crescimento e propósito do trabalho. Uma dica interessante é manter uma rotina de conversas com os seus principais profissionais para entender como eles se sentem na empresa e verificar o que pode ser feito para aumentar o nível de satisfação.

Resolver um problema em uma organização não é uma tarefa fácil, exige boas habilidades no gerenciamento de pessoas e na administração de soluções. Nós podemos te ajudar com os problemas de gestão de pessoas em sua empresa. Solicite um diagnóstico gratuito para sua empresa.