Demissão: Condutas Positivas - Synerhgon
R. São Vicente de Paulo, 650,Cj. 12 - Higienópolis - SP
(11) 3825-6751 / (11) 99607- 8855
synergia@synerhgon.com.br

Demissão: Condutas Positivas

Consultoria estratégica em gestão

Demissão: Condutas Positivas

Não importa se um funcionário está sendo dispensado após longo ou curto tempo de trabalho na empresa; se a demissão se dá ou não por avaliação pessoal ou profissional negativa; se o regime de trabalho é virtual ou presencial; se o executor dessa missão é ou não seu superior hierárquico. Demitir, apesar de ser rotineiro em qualquer empresa, nunca é tarefa fácil.

Além disso, é fato que uma dispensa tem sempre duas dimensões. A do demitido, pois o evento terá reflexo na sua carreira, autoestima e saúde financeira. E o da organização, pois demissões têm impacto no restante do time, seja por induzir insegurança, seja por influir na rotina e na distribuição de responsabilidades.

Para fazer com que esse encargo seja cumprido de forma mais fácil e sem consequências danosas, propomos algumas condutas para a ocasião. Confira!

1. Escolha o melhor momento

A preocupação aqui é com o impacto que o desligamento terá no restante da equipe. Não é conveniente dispensar um profissional ao qual se tenha recentemente premiado, elogiado, delegado mais responsabilidades ou mesmo promovido. Situações como essas podem gerar insegurança no grupo.

Da mesma forma, é indicado que a demissão seja comunicada ao funcionário no início ou final do expediente de trabalho, a critério do que seja o melhor a organização. De forma geral, as sextas-feiras têm a vantagem de “esfriar” o evento.

2. Assuma a responsabilidade por informar o funcionário

Em que pese eventualmente haver um setor de RH na empresa para conduzir e detalhar as obrigações legais e internas relativas ao desligamento, valorizar o contato direto é importante.

Isso porque um funcionário tratado com deferência poderá, amanhã, recomentar ou bem avaliar tanto a empresa como você. Esse contato deve ser, preferivelmente, pessoal.

3. Prepare-se

Elabore os pontos que serão abordados no momento da demissão.

Obtenha a documentação que informe ao demitido, de forma clara, que valores e procedimentos comporão o desligamento.

Não compartilhe, ainda, o assunto com ninguém, a não ser aqueles diretamente envolvidos na tomada da decisão ou nos cálculos das verbas rescisórias.

4. Conduza a reunião de demissão

Seja educado, claro, direto e sucinto na exposição dos motivos que levaram à decisão, deixando explícito que ela é definitiva. Usar o tempo passado para se referir ao vínculo empregatício é uma forma de reforçar essa percepção. Mas ouvir a argumentação do funcionário é uma atitude de respeito.

Tanto quanto possível é interessante ser rápido, para minimizar o evidente constrangimento do momento.

Não deixe que pairem dúvidas sobre a demissão ter outra motivação que não a técnica ou financeira.

Pedidos de desculpas não melhoram o clima, além de poderem ensejar o entendimento de que a decisão não teria sido justa ou que sua opinião teria sido contrária.

Empatia é importante, porém dizer “sei como você está se sentindo” não ajuda. Ao contrário, pode despertar uma sensação de inconformismo.

Sempre que viável, tenha presente uma testemunha (representante do RH, gestor de outro setor, advogado). Isso serve para inibir, apaziguar, comprovar ou relatar eventuais reações agressivas.

Repasse se o funcionário compreendeu os motivos, os termos da rescisão e os passos seguintes.

Estabeleça o momento para que sejam recolhidos os objetos pessoais, que tanto pode ser logo após a reunião como em horário fora do de expediente.

5. Comunique por escrito

Após a reunião de demissão, e para garantir que o impacto da notícia não tenha interferido no entendimento do que foi informado (motivos, verbas rescisórias e próximos passos), não é demais enviar um e-mail ao ex-funcionário, elencando esses elementos.

6. Bloqueie os acessos físicos e telemáticos

Cancele o uso de chaves de acesso físicas e virtuais, equipamentos eletrônicos, e-mail corporativo, softwares, etc.

7. Comunique a equipe sobre a demissão

Clareza também é a recomendação nesta etapa. Não interessa uma equipe desmotivada por imaginar quem poderá ser o próximo a ser demitido.

Informe os motivos, porém sem expor o funcionário desligado.

8. Mantenha o contato

Algumas providências podem ser benéficas tanto para o funcionário demitido como para quem o demitiu, tais como manter contato em redes sociais, especialmente profissionais.

Se houver possibilidade e interesse, em um momento posterior indique o funcionário demitido para algum emprego.

O bom relacionamento mantém portas abertas, nos dois sentidos.

 

Mauricio Prieto – sócio diretor da Synerhgon